sexta-feira, 14 de maio de 2010

Novo



Começou com um sonho,
e foi por entre os dedos com palavras mordazes.
Me encontrava só e o sonho é como se tivesse acabado,
nas lutas nem ao menos o tempo é companhia.
Incrível como algo tão calmo se transformou
em um turbilhão de pensamentos,
um furacão sem rumo.
Ficou a inércia de não poder de ter.
Você era a direção de um sonho
e quantas promessas lindas eu vi,
a inoscência de querer te amar,
mas não se preocupe não digo eu te amo se não amar.
Já era tão verdadeiro e eu não queria desistir,
oro, peço aos céus e solto a minha voz pensando em nós,
mas como acreditar agora depois de palavras tão duras e confusas.
Só não espero que o tempo apague no meu coração
a chama que nasceu vinda de algo divino.
Deus te peço que sim seja isso certo por que como dizer que não?
Foi tão lindo o sonho, a dança,
o toque ao sentir teu rosto.
Era real, no sonho eu viajei e já te amava
e nem ao menos te conhecia.
E quando eu acordei já ouve dor
e eu nem te conhecia.
Injustiça não poder correr atrás
e não sentir teu abraço terno.
Os teus beijos são melhores do que
o poeta poderia descrever.
Saudades do tempo que agente amava se ver,
mas vou guardar comigo teu beijo
o mais doce que provei.
Faíscas e uma noite mal dormida, amizade?
Claro que ouve e brilhava como uma estrela.
Sou humana e me arrependo,
fui longe demais e não esperei o suficiente,
fui culpada eu vi as barreiras se levantarem
e não pude derrubá-las e protegê-lo,
e sei que é isso que esperava.
Vou esperar o tempo passar,
mas há sabor no meu amor e te quero sim.
Vou esperar o tempo que for,
lágrimas na madrugada já rolaram,
noites mal dormidas,
mas há uma imensidão para percorrer,
eu esperarei...
o Novo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget