quarta-feira, 16 de junho de 2010

MADRUGADA





Hoje tenho certeza que te reinventei para mim.
E sei que não posso mais ver em teus olhos a doce vontade.
Mas como queria a tua cor com a minha...
Foi em um momento de tempestade que te coloquei em meus pensamentos
Quem sabe tenha sido por conta de um sonho ou pela simples necessidade de te ter...
Mas ficou claro que tentei lutar...
Quantas saudades e os nossos momentos foram tão breves...
M e força a situação de recriar algo novamente, mas vou esperar...
Que pena que não prevaleceu à vontade...
Mas quero que saiba me arrependi, não dormi bem esta noite
Fiquei refletindo uma multidão de pensamentos no silêncio,
Mas ainda sinto o toque dos teus lábios ao meu...
Como foi bom! Foi calmo o que mais dizer?
Minhas lágrimas perduram pela noite de tantas coisas que não foram ditas.
Mas tiro todas as mágoas para que essa saudade não me persiga onde eu for...
Imagina se tivesse tido entrega?Teria sido a paixão mais indevida que alguém poderia ter tido
Sinto muito, minha alma é muito independente para viver essas emoções
Seria como se eu saltasse mais alto, fazer ser verdade uma paixão,
Queria ter ganhado e me envolver e deixar minha alma viajar em segredos.
Por que não se entregou? Queria entender o motivo de não ter se aprofundado.
Qual foi o medo? Tentaria te proteger.
Qual insólito foram os teus pensamentos, a discórdia que deixastes te envolver.
À noite sonhei contigo, e escrevi tuas iniciais em uma mesa, mas risquei para que tu não visses
E não soubesses o que guarda o meu coração.
É tão doce e faz sofrer, seria então mesmo paixão?
Não sei... Mas sei que sinto e que as noites tem sido intensas e que distante tem estado...
E o que resta? Um sentimento em meio à madrugada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget