segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Amor de Infância


Neste final de semana propriamente no domingo, fomos ao culto Lú e eu.O culto foi maravilhoso um culto de missões. Estava muito cansada, mas mesmo assim fomos dar uma esticadinha até a pizzaria. Lá começamos um papo super cabeça e mega coração.
Depois da pizzaria fomos até a uma sorveteria - doce cai bem nessas horas -
saboreando uma banana split, coberto com muito chantilly, começamos um momento nostalgia.
Lembramos de quanto éramos inseguras, quando vivemos o primeiro amor.As borboletas no estômago, o modo como os meninos nos olhavam e como eles choravam - é talvez só nesse tempo mesmo para ver um homem chorando - e nessa hora fui ouvinte de uma longa conversa.
Comparando aos amores de hoje posso ver que sofremos da mesma forma, sentimos as borboletas do mesmo jeito e as vezes dói mais. Claro quantos homens fizemos sofrer. E como éramos felizes e não sabíamos. Hoje, eles mentem, enganam, machucam bem mais. Só que com o tempo aprendemos a ser mais seguras e a dizer não - o que não acontecia na adolescência - por medo de perder. Agora dizemos, ainda que com o coração na mão, "quer ir embora vai".
Não é fácil amar em nenhuma idade, os homens não mudam com o tempo, mas de uma coisa tenho certeza, com a maturidade sabemos o que queremos, as lágrimas até podem vir, mas com classe enxugamos elas e falamos em voz alta vai passar, tudo isso vai passar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget