sexta-feira, 26 de novembro de 2010

AMORES INIBIDOS




"Navego contra o mar
bem que eu queria estar agora
em abraços de calor
em um beijo sedutor

Tudo que eu mais queria
era estar amando um dia
que fosse...
pra sentir tudo de novo
pra vigorar no meu todo

Que uma paz que habita o meu ser
vai fazer valer a pena
num amor que me condena
a andar pelo vale da união
a seguir a tua direção

Faça meu corpo
flutuar por seu prazer
faça de minhas mãos
a doce presença de sua tentação
me proteja
com teu querer de não me deixar
e finque na tua pureza
toda vez que eu disser: ‘Vem me amar’
use-me como ponte ou elevação
pra passar pela serração
dos desejos contidos
do amores inibidos
da pós-valorização
a conquista
do excesso de caos
que te irrita
que haja um apogeu
a cada dia
e um objetivo
que possibilita
a supremacia de tudo o que se quer
como ter só você, mulher
como diva, musa inspiradora
como usurpadora
de meu melhor lado
pra estar sempre apaixonado”

(Kadu Oliveira™)


Uma linda poesia de alguém que há muito não postava e sempre tem aceitado meu convite para escrever. E só tem enriquecido esse pequeno espaço que fala de amor! um grande beijo Kadu!

Um comentário:

Ocorreu um erro neste gadget