quinta-feira, 30 de junho de 2011

Mais uma História

Imagem ítalo Rios
Como eu quero acreditar que há ídas e vindas, mas sei que não acontecem...
Sei que você não tem culpa por não me amar,
Mas quero entender as coisas do teu coração
O tempo passa e eu te vejo além, e os motivos são além de te querer
Além de um momento...
O tempo não apaga e a vida se encarrega
De colocar nós dois face a face...
Tive que aprender a ter uma amizade contigo...
Mas chega a doer a mágoa que aumenta com o tempo...
Quero que o tempo apague a dor...
Como quero estar com você...
Minhas dúvidas e confusões,
Me afastam daquilo que até os céus planejaram
e os deuses conspiraram contra
Não vou mais pensar, vou tentar esquecer
Vou te perdoar, quero que sejas feliz
E vou esperar outra história começar
E um amor bater a porta como surpresa
Não vou mais chorar, as lágrimas acabaram com o tempo
Só sinto dor e uma vontade enorme de chorar
Por aquilo que não vivi
Vou recomeçar e acreditar
Espero não mais te ver e deixar para trás tudo que passou
Esta na mão de Deus...

APENAS MAIS UM DIÁLOGO COM O SENTIMENTO MAIOR




"Um frio na alta madrugada
te desafia de forma inesperada
traz a tona um desejo de paixão ardente
te remete a sonhos de adolescente
te retorna a um tempo de magia, e ao mesmo tempo, solidão
e te diz que carinhos e beijos não ficaram em subtração

Não se pode perder a esperança de novamente amar
pois eis o que nos move, o que nos faz sonhar
pois a vida sem amor é sem graça, e pode corroer seu sentimento
te maltratar e tirar de ti o que há de bom por dentro
fazer você parar de acreditar que deve ser feliz nos campos do amor
pois é isso que a insegurança quer: fazer você parar de sentir este sabor!

Os motivos para acreditar em um amor pleno
estão em casa: meus pais!
Viver tal experiência seria demais
pois chegar próximo ao imponderável é o que há
e sei que a sinceridade poderá me levar até lá
num misto de cumplicidade e afeto
surgirá no coração o amor completo

Já cheguei muito longe, e não posso voltar atrás
o destino me espera, logo após o meus cais
pra consolidar todo ato de poesia e ternura
delírio e loucura...
dizendo a mim mesmo, que nada disso foi em vão
nem um verso de amor
nem esta composição".

(C. Eduardo™)
Ocorreu um erro neste gadget