sexta-feira, 29 de julho de 2011

Noite

Se não fosses a escuridão a boa amiga
te vestiria de dia somente para te ver melhor...
Tú que escondes meu amado e vela ele dormir...
Há noite, queria ser uma estrela para que do alto de sua janela
Me visse brilhar antes de dormir

Noite de insólitas canções e desatinos
Sonhos que a qual pudesse saber a verdade do meu coração
Noite que se veste de negro e me inebria com sonhos...
Noite de segredos aos quais quero desvendar

Tú escondes noite o meu amado e o faz distante
Como descobrir seus segredos se tú o fazes dormir...
Nos meus sonhos noite mostra-me a sua face
Pois ainda não o conheço e quero desvendar-me

Há noite se soubesses a minha dor mostrarias
A Lua inteira e colocarias meu nome nela
Para que ele viesses logo a me encontrar
Noite bela me contas teu segredo?
Que eu conto a ti o segredo que me faz sonhar...

segunda-feira, 18 de julho de 2011

VINTE RAZÕES PARA AMAR UM CARECA

Fabrício Carpinejar




1. Não é que o careca é careca, ele tem mais rosto. É somente rosto. Sua mulher nunca erra um beijo em sua face. Atrás da cabeça ainda é bochecha. Não há aquele risco desagradável de engolir cabelo.

2. O careca é um ponto de referência em qualquer lugar público. No supermercado, por exemplo:
- Onde é o corredor do arroz?
- Depois daquele careca, à esquerda.

3. O homem larga a pose alfa, tem um maior contato com a natureza, arrepia-se com as gotas da chuva ou as lufadas geladas do vento.

4. A careca é uma zona erógena e pode ser aplicada como instrumento preciso para massagens eróticas nas costas da mulher. Trata-se de uma plataforma vibratória, com funções aeróbica, anaeróbica e terapêutica.

5. Fim dos furtos dentro de casa. O xampu e o condicionador da esposa duram o dobro de tempo.

6. O macho deixa de ser hipócrita, não perguntará para a mulher de quem são os cabelos no ralo ou na pia. Com o fim da concorrência, agora tem certeza que são dela.

7. Não corre o risco de se afeminar com o uso excessivo do secador.

8. Na pressa, não precisa tomar banho, apenas completar o polimento.

9. O careca não passará pelos vexames sociais da caspa ou do piolho.

10. Nunca envergonhará sua companhia pintando os cabelos de acaju ou recorrendo às luzes.

11. Reduz as possibilidades de câncer de pele. Começa a pôr protetor solar para sair ao trabalho, não se restringindo a se prevenir da radiação ultravioleta nas férias.

12. Não é bobo de gastar R$ 50 mil como Eike Batista para comprar uma peruca italiana. Não é bobo de virar sósia de Silvio Santos com peruca de R$ 50.

13. O careca é maduro, confiável, único homem que realmente abandonou a adolescência.

14. Ninguém reclamará que ele é vaidoso e que vive se olhando no espelho para ajeitar o topete.

15. Se cometer algum crime, pode mudar de personalidade colocando um chapéu, uma boina ou um boné.

16. O careca não enrola, assume o romance. É tudo ou nada. Não admite meio-termo: implante, aplique, calendário pilomax. Prefere uma cabeça raspada a falsas esperanças.

17. Rejuvenesce no ato. Aparenta cinco anos menos do que os seus colegas grisalhos ou de mechas tingidas.

18. Não existe mais nenhum problema que possa fazer o careca perder cabelo.

19. Elas gostam dos carecas porque os carecas se gostam.

20. Todo careca sabe quem foi Yul Brynner.

http://carpinejar.blogspot.com/2011/07/vinte-razoes-para-amar-um-careca.html

sábado, 9 de julho de 2011

Ele é como o vento


Se Deus me desse mais uma chance de estar contigo, seria tão feliz...
Quantas saudades sinto...
Eu já tirei as amarras estou livre, mas ainda acorrentada em você
És como o vento que vem tão impetuoso...
Eu ainda te amo

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Quando Ninguém Me Vê



Música interpretada por Alejandro Sanz
Cuando Ninguém Me Vê
Às vezes me elevo, dou mil ropopios,
Às vezes me confino atrás de portas abertas.
Às vezes lhe conto o por quê deste silêncio
É que às vezes sou seu e às vezes do vento.

Às vezes de um fio e a vezes de um cento
E a vezes, minha vida, lhe juro que penso:
Por que é tão difícil sentir como sinto?
Sentir como sinto que seja difícil...

Às vezes lhe olho e a vezes você se deixa,
Me empresta suas asas, revisa seus vestígios.
Às vezes por tudo ainda que jamais me falhe,
Às vezes sou seu e às vezes de ninguém.
Tem que vezes, lhe juro, que de fato sinto
Muito não lhe dar a vida inteira,Lhe dar somente esses momentos.
Por que é tão difícil viver?
Só é isso, viver, só é isso, por que é tão difícil?

Refrão:
Quando ninguém me vê, posso ser ou não ser.
Quando ninguém me vê, ponho o mundo ao contrário.
Quando ninguém me vê, o corpo não me limita.
Quando ninguém me vê, posso ser ou não ser.
Quando ninguém me vê

Às vezes me evelo, dou mil ropopios,
Às vezes me confino Atrás de portas abertas.
Às vezes lhe conto o por quê deste silêncio
É que às vezes sou seu e às vezes do vento.

Lhe escrevo dos centros de minha própria existência,
Onde nascem as ânsias, a infinita essência.
Há coisas muito suas que não compreendo
E há coisas tão minhas, mas é que não as vejo.
Suponho que penso que eu não as tenho,
Não entendo minha vida, se acendem os versos,
Que às escuras te digo "sinto muito!", "não é certo!".
Não acenda as luzes pois estou com
A alma e o corpo nus.

Refrão:
Quando ninguém me vê, posso ser ou não ser.
Quando ninguém me vê, me pareço com sua pele.
Quando ninguém me vê, eu penso nela também.
Quando ninguém me vê, posso ser ou não ser.
Quando ninguém me vê, posso ser ou não ser.
Quando ninguém me vê, o corpo não me limita.

Quando ninguém me vê, posso ser ou não ser.
Quando ninguém me vê, o corpo não me limita.
Quando ninguém me vê, posso ser ou não ser.
Quando ninguém me vê...

Às vezes me evelo, dou mil rodopios,
Às vezes me confino atrás de portas abertas.
Às vezes lhe conto o por quê deste silêncio
É que às vezes sou seu e às vezes do vento.
E às vezes do tempo...
Às vezes do vento...
Ocorreu um erro neste gadget