quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Incertezas



Nada é claro as histórias são tão incertas
No que posso ter certeza se suas palavras chegam a soar mentiras
Como posso esperar verdade?
Seus planos são sutis e mostram veneno
Sei que é um jogo, mas tu erras quando pensa em ganhar
Eu sei dos teus passos, não são difíceis de saber
Você deixa marcas por onde passa
Coração bandido o seu que não sabe o que é amar
Não me enganas em nada
Nós dois não somos tão complicados, só somos mal copiados
Quero que saibas que já não sinto mais nada
As emoções foram embora junto com os teus sorrisos falsos
É mais seguro caminhar sem você
Já não quero mais ser tua
Tu és a canção que não consigo entender
mas descrevo...
Queria te tirar de uma vez da minha cabeça
Mas as palavras me entorpecem cada vez que lembro de ti
Há uma música que nos descreve, não vou te contar...
Pensas que eu não sei?
Estás em meio a lençóis neste instante
Se esqueceu de me conhecer?
Como não perceberia?
Mas não dá pra dizer que não é impossível
Nós dois...
Não precisa mais disfarçar conheço teu olhar
Os teus mistérios não são mais mistérios
Chego a rir de tudo isso...
Sinto tua falta, mas tudo isso me desespera
Penso em ficar a distância, mas é algo para mortais,
De modos iguais
Penso em você e as emoções se misturam
Atire a primeira pedra se você quer desistir
E não quer mais caminhar nessa estrada
Tá ruim pra mim, já não consigo usar máscaras
Não temos mais segredos... Há não ser aqueles que guardo
O amor pode sim acontecer, mas como ter certeza?
Sermos amigos depois de tudo que falamos?
No espaço daquilo que já falamos, já deveriam ter acontecido decisões
Eu fujo e você vem...
É o ápice dos imortais...
Eu sempre confesso, você que não percebe
Resta as esperanças, mas nem sei se quero
Eu finjo que esqueço, mas não esqueci
Vejo teu futuro e guardo as lembranças
E não falo de passado
São emoções...
Procuro saídas e entro no seu caminho
Desculpas já não valem
Falar só por falar?
Meias verdades
Só são incertezas...

2 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget