domingo, 27 de novembro de 2011

O teu "Eu" no meu hoje



Hoje te escrevi por mais que você não saiba porque te senti naquele arrepio.

O aqui e o agora não costumam tratar do ontem, mas neste hoje quero recordar... Afinal, o ontem me trouxe novos tons, sons e me trouxe você em meio os acordes vivos.

Eu que sempre preferi falar sobre certezas e sentimentos frustrados, hoje sinto a necessidade de te escrever sobre incerteza.

....

Em um apático mês de trinta e um dias, eis que você me aparece como um contato instigante. Como as demais pessoas do segundo semestre, Deus também te trouxe nos braços, mas algo diferente brilhou em torno de ti. Mas até então ainda havia resquícios de outro astro.

Sem alarde cê foi se mostrando chatamente belo e me rendeu boas madrugadas, depois me rendeu sorrisos abertos e piscar demorado. Me veio com ensinamentos, percebeu ciúmes e me ganhou com sua simplicidade.

Agora só resta o receio de novamente me deixar levar pela atração de um imã ilusório e pedir a Deus para que o tempo de busca tenha chegado ao fim. Até porque sua chatice bate com a minha, sua calma e seriedade apresentam-se como refúgio a minha inquietação e é sua gargalhada que me põe um sorriso torto na cara.

p.s.: to com medo de estar, realmente, gostando de você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget